Mistress Ju Leah

 
  • Dominatrix Profissional;

  • Sexcoach

  • Fotografa

  • Fetichista

  • Campinas - SP

  • 32 anos.

  • Pés 40.

  • 1,79 m.

  • 66 kg.

  • Manequim 40.

Há cerca de 7 anos, comecei a pesquisar e me

aprofundar no conhecimento sobre o BDSM.

 

O fetichismo se tornou meu estilo de vida, e acabei 

me profissionalizando e se  dedicando cada vez mais

as práticas, condutas e aos desejos que vinham 

aparecendo cada vez mais ao meu redor.

 

Em consequência também observei, e vivenciei muitas

situações que me fizeram perceber o quanto a nossa

sociedade brasileira ainda é atrasada com o fetichismo,

o sadomasoquismo, e todos os assuntos ligados a

sexualidade alternativa. Percebi que as pessoas ligam

o fetiche diretamente ao sexo, que pensam no

sadomasoquismo como algum tipo de transtorno, e percebi

também, muitos outros tabus que me fizeram querer saber de

onde vinham todos esses rótulos quase que prontos.

Decidi não somente ser uma Dominatrix Profissional, mas também sexcoach  e compreendi que todos estes tabus são originados  na falta de informação e na ausência de um conteúdo de qualidade que transmita segurança e clareza a quem procura.

Como alguém que vivencia o fetiche como estilo de vida transcendente e libertador, me dedico a promover esta cultura e o meio BDSM de uma forma que julgo justa (pois todos temos direito a informação e segurança), através da produção visual, audiovisual e da escrita de artigos com base em pesquisas feitas em fontes seguras, com muita dedicação.

Sou uma mulher de bem comigo mesma, e escolhi ser uma Dominatrix Profissional como forma de realização pessoal plena, não por status, por algum tipo de insegurança ou por desejo de vingança contra o sexo oposto. É, claro que sou ambiciosa, mas também não foi o dinheiro que me levou a esta escolha. E sim, por acreditar que as pessoas merecem muito mais, pois quando se tem a informação e a segurança, o fetichismo se torna mais uma quebra de tabus, se torna a libertação dos próprios julgamentos e limitações. Além da expansão da percepção de prazer além da genialidade, claro.

Espero que as pessoas, um dia, sejam muito mais do que rótulos. Que sejam livres, como eu me sinto.

amante-com-um-chicote-no-quarto_219790-1

Acredito na submissão como um ato libertador, de quem, por algum momento, escolhe em pleno ato de liberdade se ver livre de responsabilidades, e se permite conhecer novas perspectivas de prazer sendo guiado por quem despertou sua confiança, admiração e desejo em servir.

Todos os meus submissos são treinados para que possam superar expectativas, e dar o melhor de si para corresponder ao nível em que mereço ser servida, adorada, admirada e cultuada. Nada menos que isso! Gosto da excelência, e é isso que sempre irei lapidar em todos os que se submeterem aos meus caprichos.

Domino homens e mulheres. Faço da dominação o momento, em que me dedico a levar o meu submisso a um degrau acima do que ele acharia que poderia vivenciar. Ele se admira, e se orgulha. Pois a submissão é muito mais do que práticas. A submissão é a plena confiança em alguém. É a entrega com desejo da transcendência. E se você de fato deseja tudo isso, seja muito bem vindo ao meu mundo.

Foto Mistress Ju Leah