top of page

História do BDSM no Mundo


A escravidão, como é de senso comum, remonta a antiguidade e se perde no tempo a origem de flagelações, castigos, humilhações e imobilização, mas flagelação como forma de prazer encontramos relatos no Satírico de Petrônio, onde um delinquente é chicoteado por prazer. Narrativas de anedotas relacionadas a humanos que, desejavam ser amarrados, flagelados ou chicoteados como substituto de sexo ou parte de uma brincadeira erótica são encontradas até o século III e IV D.C. e no Kama Sutra, que pode ser considerado, o primeiro artigo escrito, que trata das atividades Sadomasoquistas e regras de segurança (segundo textos do Mestre Brenno Furrier), nos revela ainda que a revista europeia “London Life”, passou a veicular os primeiros anúncios de encontros e festa privadas em 1918, seguida pela revista chamada “Bizarre” (1946), cujo conteúdo era voltado para o Bondage, Dominação e Fetichismo.


A origem dos termos sadismo e masoquismo advêm do nome de dois autores distintos e de época diferentes. Consultando a Wikipedia, Sadismo se refere ao Marques de Sade, cujo nome é Donatien Alphonse François de Sade (França, 1740-1814), aristocrata e escritor libertino, sendo que muitas de suas obras foram escritas enquanto estava na Prisão da Bastilha que seria a variante sexual onde o sujeito obtém prazer causando dor física ou moral no parceiro (a). Nas suas obras apresentava uma moralidade baseada em princípios contrários ao que os "bons costumes" da época aceitavam; moralidade essa que mostrava homens que sentiam prazer na dor dos demais e outras cenas, por vezes bizarras, que não estavam distantes da realidade. A sua obra mais importante é 120 dias de Sodoma (1785) em que nobres devassos abusam de crianças raptadas encerrados num castelo de luxo, num clima de crescente violência, com coprofagia, mutilações e assassinatos.

 

A outra vertente do sadomasoquismo se refere a uma obra em especial do também nobre Leopold Ritter von Sacher-Masoch (1836 - 1895), escritor e jornalista austríaco que escreveu o clássico “Venus in furs” (1970) ou A Venus das peles, protagonizada por Severino, um jovem nobre, que se apaixona pela viúva Wanda, também jovem. Ela com suposta tendência a dominação e ele afirmava que no amor um necessariamente domina e o outro necessariamente é dominado e parte dele o pedido que Wanda o aceite como o seu escravo real, com acordo selado com um contrato que põe a vida de Severino nas mãos de sua amada. No enredo temos cenas em que o personagem é amarrado e chicoteado por Wanda e, mesmo, por uma cena em que ele é posto a puxar uma arado sob chicotadas. Severino declara sentir prazer com tais experiências, durante as quais, pede que sua amante se vista com roupas de peles de animais. Não contente com isso, porém, ele estava constantemente desejoso por sua esposa de ser infiel: “quanto mais cruel e infiel ela é, quanto mais joga de maneira criminosa, quanto menos piedade demonstra, mais excita os seus desejos, mais ele a ama e a deseja.” Em inglês, esse prazer em ser corno se denomina “cuckold.”

 

Aqui temos os ingredientes para definirmos o sadomasoquismo, o prazer em sentir ou infligir dor e humilhação relatados pelos escritores foram eternizados sob o termo derivado de seu nome sadomasoquismo pelo psiquiatra Richard Von Krafft-Ebing classificando tais comportamentos como perversões sexuais e depois eternizado pelo neurologista austríaco Sigmund Freud, o maior estudioso do sadomasoquismo dentro da psicanálise no final do século XIX, mas para separar o que é uma prática saudável, segura e consensual da parafilia ou perversão foi criado um novo termo para tais práticas BDSM.

 

Robert Bienvenu atribui as origens do BDSM moderno em três movimentos nomeados de “fetiche europeu” (1928), “fetiche americano” (1934), e “couro gay” (a partir de 1950).

 

Segundo o portal do Senhor Verdugo a explosão das práticas BDSM, ainda sem o termo, se deu após a segunda grande guerra mundial, impulsionada pela revista chamada “Bizarre” (1946) e com a volta de soldados que, claramente com tendências homossexuais, curtiam andar em grupos em motocicletas vestidos de couro. O Couro passou a ser parte da indumentária virando o símbolo desse movimento chamado de leather e o sadomasoquismo como prática social. 

 

Em 1951 em Nova York foi fundado o primeiro local reconhecidamente sadomasoquista, o Shaw´s. Na Europa também começa a se desenvolver grupos de heterossexuais e a aceitação dos Switchers (são pessoas que tem o prazer de dominar e ser dominado), mas somente nos meados da década de 60 que esse movimento e casas específicas surgiram por lá.

 

Irwing Klaw, durante a década de 50 e 60, produziu um dos primeiros filmes comerciais e fotografias com o tema bdsm estrelado por Bettie Page, quem nem imaginava o que estava sendo fotografado ou filmado e se tornou uma das garotas pinup mais famosas dos estados unidos. Foram publicados quadrinhos famosos com essa temática como John Willie, Eric Stanton, o italiano Guido Crepax, que foi profundamente influenciado por Stanton, o que resultou no desenvolvimento de quadrinhos adultos na Europa na segunda metade do séc XX.


Esse termo foi cunhado por Taunting Sarah no BDSM Overdrive numa aula sobre consentimento versus responsabilidade, posto que a segurança não é absoluta e, portanto, ambos têm que assumir a responsabilidade. Temos mais um tipo de base consensual citada por um Lether Master chamado Sarras que escreve para o criador do SSC David Stein na época da publicação do artigo em 2002 sugerindo um tipo de base voltada para a relação 24/7 TEP, já que nesse tipo radical e total de entrega toda a responsabilidade fica a cargo do Top e portanto somente ele teria a total responsabilidade de sua posse. CCC - Committed, Compassionate and Consensual (Comprometidos, Compassivo e Consensual), não entra o seguro e sane (são) e preza a compaixão, quer dizer, é o top que assume toda responsabilidade sobre o Botton, sendo que o top se compromete em seguir o que foi acordado sem deslizes. No Brasil, o primeiro grupo formal de BDSMers se chamava SoMos, criado em meados da década de 90 e findado em meados da década de 2000 e esse tipo de base de segurança foi referendada na voz do Top Klaus em 2008, publicada na página do Mestre JB e ainda introduz o termo sensual no lugar de consensual, embora seria quase a mesma coisa que o CCC, mas no Brasil ficou conhecido por SSS, são seguro e sensual.  (dilemasdeumdominador)

 

O termo “BDSM” propriamente dito, só tomou forma a partir da década de 80 com as manifestações sexuais, principalmente do movimento gay; e tomou força a partir da década de 90 com o boom da internet, em grupos de discussões como o alt.sex.bondage.

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page