Essência Dominante

Atualizado: 5 de jul. de 2021


Enquanto a ideia popular faz dos Dominadores pessoas agressivas, esses grandes seres alcançam influência demonstrando sua competência e valor para suas posses e/ou outras pessoas no meio. Não se trata apenas de um perfil que fetichiza a conquista do poder, mas sim de quem ascende a hierarquia para sucesso geral da relação e dos indivíduos dentro desta.

Num primeiro olhar, tanta autoconfiança pode parecer arrogância ou bravata. Num segundo olhar percebemos que Dominantes são contundentes em sua comunicação e gostam de chegar direto ao ponto. Para ser um Dominador, não basta ter apenas um perfil dominante, é preciso exercitar algumas características que transformem instintos natos em algo construtivo.

A Dominância, no que tange o BDSM, precisa ser galgada em alguns aspectos morais. Alguns deles precisam ser exercitados ao longo da vida. Dentre estes aspectos estão habilidade em se comunicar, a empatia, a humildade, a responsabilidade e a lealdade.


Habilidade na Comunicação e Empatia

Coloquei comunicação e empatia juntas pois acho que uma deriva do esforço da outra. As habilidades em se comunicar com alguém nascem de uma visão menos moralista de mundo, em parar de ver atitudes e palavras como boas ou más, certas ou erradas (o sentido de certo e errado vai variar segundo as regras do Dominante). É consequência da tentativa genuína de compreender o outro em sua totalidade, é a ênfase em expressar e captar sentimentos e necessidades, em vez de críticas ou juízos de valor.

Manter um canal honesto e sincero de comunicação é essencial para realinharmos a relação sempre que preciso for. A habilidade de falar e ouvir é uma característica a ser trabalhada por ambos no relacionamento, mas ainda mais por quem ficará responsável pelas decisões de acatar ou não queixas, e o que fará em relação a elas.


Humildade

Humildade também é uma característica que complementa as duas de cima. Humildade para reconhecer as próprias falhas, os próprios limites, e os próprios erros. Humildade em se colocar na posição de aprendiz muitas vezes enquanto ensina e disciplina alguém. Reconhecer-se como um ser falível. Estar disposto a colocar algumas necessidades no bolso em favor do bem estar do submisso e da relação. Orgulhar-se das próprias habilidades e talentos enquanto compreende-se que estamos em constante crescimento e aprendizado. Ou seja: não sabemos tudo.


Responsabilidade

Dominadores precisam ter um senso bastante apurado de responsabilidade. Responsabilidade pelas decisões que tomam, e dos seus possíveis desdobramentos. Consciência de possíveis consequências, tanto positivas quanto negativas, de tudo o que está sob sua responsabilidade. A responsabilidade puxa o Dominador para o aprendizado e a humildade. Compreender que não se assumem riscos do que não se conhece e que é preciso reconhecer erros para que se arque com as consequências negativas de algum ato. Seja no sentido subjetivo da relação ou nas práticas e cenas.



Lealdade

Esta talvez seja uma das características mais importantes, pois é dela que nasce boa parte do respeito e da admiração que um submisso nutre pelo seu Dono. A lealdade é a coerência e contundência numa relação. Se trata do quanto uma pessoa consegue se manter fiel aos próprios valores e as promessas que fez a si e ao próximo. Numa D/s, diz respeito a manter os acordos e comunicar sempre que perceber certa dificuldade em mantê-los. As pessoas respeitam e aceitam ser guiadas por aquilo que elas enxergam como norte, por quem é pouco volátil e por quem honra as próprias palavras.


15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo