Alimentos Afrodisíacos Existem?






Quando se fala em alimentação e sexo, uma das primeiras coisas que vem à cabeça das pessoas é sobre alimentos afrodisíacos. Quem nunca ouviu falar sobre algum alimento que poderia ajudar em momentos de intimidade?


Existem diversas teorias de que alimentos como Maca Peruana, Tribulus terrestris, Ostras, entre muitos outros, são benéficos para a relação sexual. Mas, será que isso é verdade?


Mitos e verdades sobre os Alimentos Afrodisíacos


Romã

Por causa da grande quantidade de sementes, a romã era associada à fertilidade na antiguidade. Ela tem um forte poder antioxidante e pode ter benefícios cardiovasculares, o que é muito positivo na sexualidade. Mas não se pode afirmar que é afrodisíaca.


Ostras

As ostras são ricas em magnésio, o que poderia explicar a sua atribuição afrodisíaca. Os níveis de magnésio parecem estar ligados aos níveis de testosterona. A deficiência de magnésio pode aumentar inflamação, por isso, é importante manter uma ingestão adequada deste mineral. Baixos níveis de magnésio estão associados a ejaculação precoce.


Contudo, o magnésio pode ser encontrado em maior quantidade em outros alimentos como: sementes de abóbora, espinafre e quiabo.


Tamarindo

É utilizado principalmente na África e Índia como afrodisíaco. Extrato aquoso de Tamarindo tem atividade afrodisíaca e espermatogênica.


Ovo de codorna

O ovo de codorna, conhecido estimulante sexual, possui nutrientes que ajudam na formação hormonal, porém não apresenta características nutricionais que comprovem estímulos na sexualidade. Assim como os coelhos, a ave codorna é conhecida por se reproduzir em um curto espaço de tempo e, segundo a lenda popular, seus ovos podem transmitir esta potência para os humanos. Mas essa crença do ovo de codorna na melhora da sexualidade é Mito.


Melancia

A melancia contém uma alta concentração de L-citrulina, especialmente na parte branca. Esse aminoácido é precursor da arginina que aumenta a formação de óxido nítrico e facilita a vasodilatação. Vasodilatação é muito importante na saúde sexual, tanto do homem, quanto da mulher.


Leguminosas, sementes e oleaginosas – grão de bico, amendoim e castanha de caju

São fontes de magnésio, folato e zinco. A deficiência de zinco pode ocasionar hipogonadismo. Estudos em ratos comprovaram o efeito afrodisíaco do zinco. Mas, nem sempre é necessário suplementar, basta consumir quantidades adequadas. Alimentos ricos em folato, zinco e antioxidantes melhoram fertilidade.


Pimenta

Há muito tempo se fala em suas propriedades em aumentar prazer sexual, porém os estudos não comprovam essa teoria. Pelo contrário, já houve um estudo que mostrou redução do desejo sexual em ratos. A capsaicina é utilizada como analgésico, mas parece não ter benefícios na função sexual.


Temperos como: canela, coentro, manjericão, cardamomo, alho

Também tem efeitos na saúde cardiovascular, propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, mas não há comprovação de seus efeitos na função sexual.


Chocolate

Há muito tempo, o chocolate é considerado um dos alimentos afrodisíacos. A igreja tentou até proibi-lo na Europa no século XVII, pois acreditava-se que ele aumentava a libido. O cacau é rico em antioxidantes poderosos e pode aumentar os níveis de serotonina, o que colabora para a sensação de bem estar e talvez possa explicar sua fama. Mas os estudos não conseguiram comprovar que ele tenha esse efeito afrodisíaco.


Algumas plantas medicinais também foram associadas à melhora da saúde sexual. Veja quais são elas:


Ginseng coreano – Panax ginseng

É utilizado com muitas finalidades, pois é adaptógeno, melhora disposição e reduz estresse. Possui quantidade maior de estudos relacionados à sexualidade, principalmente em homens. Atua também na vasodilatação e na liberação de óxido nítrico. Mas existem diversas contraindicações e seu uso não deve ser feito sem acompanhamento de médico ou nutricionista qualificado.


Tribulus terrestris

Recentemente passou a ser muito utilizado, pois se acreditava que tinha o poder de aumentar níveis de testosterona. Os estudos mostraram que isso não acontece, mas apesar deste fato, o tribulus pode ajudar na saúde sexual por outros mecanismos, como o aumento da liberação de óxido nítrico, além de apresentar papel anti-inflamatório e modular hormônios. Foi estudado para melhorar libido após menopausa. Também deve ser usado com acompanhamento profissional, pois pode causar hepato e nefrotoxicidade.


Maca peruana – Lepidium meyenii

A maca tem origem nos Andes e era utilizada pelos povos antigos como alimento para os animais, com o objetivo de aumentar a procriação. Ela é planta uma crucífera, mas a parte utilizada como afrodisíaca é a raiz. Estudos animais mostraram aumento na libido e na função erétil, e alguns estudos em humanos demonstraram resultados promissores. É um alimento seguro, porém a dosagem para esse fim ainda precisa ser definida.


Vitamina D

A Vitamina D é um hormônio esteroide e auxilia na síntese de hormônios sexuais: estrogênio, progesterona e testosterona. Podemos encontrar a Vitamina D em alimentos como salmão, sardinha, atum, iogurte, cogumelo.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo